Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

bicho do mato

Aqui fala-se de natureza, aves, bichos em geral e do que mais me passar pela cabeça

bicho do mato

Aqui fala-se de natureza, aves, bichos em geral e do que mais me passar pela cabeça

19
Ago17

Canto silenciado

Outrora muito comum no nosso país, esta bonita ave tem vindo a decrescer em número ao longo das últimas décadas.

 

Sendo uma ave muito apreciada pelos caçadores, a actividade cinegética tem sido apontada como a grande causa do seu declínio, ideia inclusivamente utilizada como bandeira pelas associações ambientais na tentativa proibir esta actividade.

Embora esta seja uma ideia que facilmente gera simpatia, não é baseada em factos reais. O grande factor que tem conduzido à diminuição dos efectivos desta rola terá sido a alteração dos habitats, advinda da intensificação das produções agrícolas e do aumento da utilização de pesticidas. O abandono (total ou parcial) das explorações agrícolas tradicionais, a seca nas regiões de invernada e a caça terão também contribuído para a dificuldade de recuperação das populações (Catry et al. 2010).

 

Se houve um tempo em que as estrofes alentejanas versavam "quero cantar como a rola, como a rola ninguém canta", nos dias que correm ouvir o seu rulhar na época de nidificação é um privilégio, tal a sua escassez (principalmente nos terrenos do centro e sul do território).

 

Esta foi uma de duas aves observadas durante a 2ª visita à quadricula MC97, no âmbito das contagens do CAC - Censo de Aves Comuns de 2017.

 

- Rola-brava (Streptopelia turtur)

- Barreiro (07-05-2017)

 

35096470405_2e9857bcb6_o.jpg

 

 

[EN]

Muted call

Once very common in Portugal, this beautiful bird has been decreasing in number over the last decades.

 

Being a bird very appreciated by the hunters, the hunting activity has been pointed out as the great cause of its decline, idea even used as flag by the environmental associations in the attempt to prohibit this activity.

Although this is an idea that easily generates sympathy, it is not based on real facts. The major factor that has led to a decline of this dove will have been the change in habitats resulting from the intensification of agricultural production and increased use of pesticides. The abandonment (total or partial) of traditional farms as well as the drought and hunting in wintering regions will also have contributed to the difficulty of the recovering populations (Catry et al., 2010).

 

Nowadays, listening to her call in the nesting season is a privilege, such is its scarcity (especially in the central and southern areas of the territory).

 

- Turtle Dove (Streptopelia turtur)

- Barreiro - Portugal (07-05-2017)

17
Ago17

O mocho, o sapo e os nerds

"O que fazem quatro "nerds dos pássaros" à noite, no meio de nenhures, a perseguir um som que parece vir de vários sítios ao mesmo tempo? Certamente estarão a tentar encontrar uma ave, mas se não forem cuidadosos podem acabar por encontrar... um sapo." (hã?)

 

Esta pequena rapina nocturna alimenta-se principalmente de insectos como gafanhotos, escaravelhos, borboletas e cigarras, mas também não rejeita repteis, anfíbios e até aves ou mamíferos de pequeno porte.
Nas noites amenas da primavera é possível ouvir o seu chamamento, repetido numa cadência de 3 segundos, a ecoar pelos campos silenciosos. Mas é preciso alguma atenção pois, curiosamente, as suas vocalizações são muito similares às do Sapo-parteiro (Alytes obstetricans), sendo que estas apenas são audíveis a uma curta distância.

 

"Depois de despistada a possibilidade do sapo, os nerds embrenharam-se no mato e conseguiram finalmente localizar o sobreiro que albergava tão ilustre hóspede. Os corações batiam ansiosos, os passos eram leves e cuidadosos e as lanternas tremiam nas mãos nervosas... seria possível descobrir o bicho antes que este voasse? Por cima das suas cabeças, o som aparentava vir de toda a copa e a própria bruma parecia conspirar contra eles. Subitamente, uns grandes olhos amarelos traíram a plumagem críptica e deu-se uma explosão de alegria muda que só seria exteriorizada uns minutos mais tarde, quando o animal abandonou a árvore e desapareceu na noite."


Nerds...

 

- Mocho-pequeno-de-orelhas (Otus scops)

- Penamacor (18-06-2017)

 

34650104804_550e1c696b_o.jpg

 

[EN]

The owl, the frog and the nerds

"What do four "bird nerds" at night in the middle of nowhere, chasing a sound that seems to come from several places at once? They will certainly be trying to find a bird, but if they are not careful they may end up finding... a frog." (what?) 

This small owl feeds mainly on insects such as grasshoppers, beetles, butterflies and cicadas, but also does not reject reptiles, amphibians and even small birds or mammals.
On mild spring nights you can hear his call, repeated in a cadence of 3 seconds, echoing through the silent fields. But pay attention because their vocalizations are very similar to those of the Midwife Toad (Alytes obstetricans), these being audible only within a short distance.

"After the toad has been discarded, the nerds went into the bush and finally managed to locate the cork oak that housed such an illustrious guest. Hearts beat anxiously, the steps were light and careful and the lanterns trembled in nervous hands. The sound seemed to come from all over the canopy, and the haze itself seemed to conspire against them. Suddenly two large yellow eyes betrayed the cryptic plumage and there was an explosion of unspoken joy only to be externalized a few minutes later, when the animal left the tree and disappeared into the night."


Nerds...

 

- Eurasian Scops Owl (Otus scops)

- Penamacor - Portugal (17-06-2017)

 

14
Ago17

Em direcção a Sul

Sem ser exuberante ao nível dos mamíferos autóctones, a fauna portuguesa ainda compreende algumas espécies bastante interessantes. Este "simpático" e arisco esquilo é um bom exemplo disso mesmo. 

Já há algum tempo que perseguia este registo e, surpreendentemente, acabou por aparecer num local insuspeito. Aparentemente estão mesmo a expandir para sul... excelentes notícias!

 

- Esquilo-vermelho (Sciurus vulgaris)
- Óbidos (21-05-2017)

 

34832227355_f130623259_o.jpg

 

[EN]

Heading south

 

Without being exuberant at the level of native mammals, the Portuguese fauna still comprises some very interesting species. This cute and skittish squirrel is a good example of this.

 

For some time now I have pursued this observation and, surprisingly, it has finally happened in an unsuspected place. Apparently they are really expanding south ... great news!

 

- Red Squirrel (Sciurus vulgaris)

- Óbidos - Portugal (21-05-2017)

09
Ago17

"Cantas bem, mas não m'alegras"

As vocalizações das aves, por muito canoras que possam ser, não devem ser associadas à arte musical.

O canto, o pio, o chilreio, o grasnar ou o crocitar servem propósitos biológicos e evolutivos que não passam pelo entretenimento, mas antes são uma ferramenta de comunicação básica com objectivos geralmente bem definidos como a atracção sexual, reconhecimento de membros da mesma espécie, alarme, identificação de progenitores/crias, etc. Embora possamos apreciar mais o belo canto da Milheirinha, igualmente importante é o chilrear do Pardal, o grasnar do Gaio ou até o "ladrar" do Garçote.

Ouvir as inconfundíveis vocalizações desta ave a ecoar na neblina matinal do sapal empresta sempre uma aura mística às minhas manhãs de observação, como que fazendo-me recuar no tempo até uma época em que o mundo era mais puro e selvagem... Até que começam a passar os carros dos mariscadores e a mística se desvanece.

 

- Gralha-preta (Corvus corone)
- Quinta da Marialva - Seixal (19-10-2016)

 

Gralha-preta (Corvus corone) Quinta da Marialva (1

 

[EN]

 

Portuguese saying: "Cantas bem mas não me alegras" (loose translation: "You sing well but it don't bring me joy")

The vocalizations of birds, although they may sound beautifully, should not be associated with the musical art.

The singing, the hooting, the squawking or cawing serve biological and evolutionary purposes other than entertainment, they are a basic communication tool usually with well defined objectives such as sexual attraction, recognition of conspecifics, alarm, identifying parent / offspring, etc. While we can appreciate more the beautiful sing of the Serin, equally important is the chirping of the Sparrow, the squawking of the Jay or even the "bark" of the Little Bittern.


Hearing the unmistakable vocalizations of this bird echoing in the morning mist of the marsh always lends a mystical aura to my observation mornings, almost bringing me back to a time when the world was pure and wild. Until the cars of the fishermen start passing by and the mystic fades away...

 

- Carrion Crow (Corvus corone)

- Seixal - Portugal(19-10-2016)

06
Ago17

Os arautos de Athena

Reza a lenda que, enviado por Athena a deusa da sabedoria, um mocho piou três vezes para informar o povo do assassinato de Julio César...

Talvez pela sua ligação histórica (ou mitológica) à deusa, estas pequenas rapinas sempre se viram associadas ao conhecimento e à sabedoria. O seu próprio nome científico parece reflectir essa ideia. Onde quer que residam as origens da sua nomenclatura, para mim será sempre um privilégio poder observá-lo, vigilante, no alto de uma qualquer ruína por esses campos de Portugal. 

- Mocho-galego (Athene noctua)
- Sesimbra (23-07-2016)

 

Mocho-galego (Athene noctua) Cabo Espichel (23-07-

 

[EN]

 

The heralds of Athena

As the legend tells, sent by Athena the goddess of wisdom, a Little Owl hooted three times to inform the people of the assassination of Julius Caesar...

Maybe for its historical (or mythological) connection to the goddess, these small raptors always have been associated with knowledge and wisdom. His own scientific name seems to reflect that idea. For me it is always a privilege to watch him, vigilant, on the top of some ruin somewhere in the countryside of Portugal.

 

- Little Owl (Athene noctua)

- Sesimbra - Portugal (23-07-2016)

04
Ago17

Poisos e poleiros

Quantas vezes já vimos uma Perdiz ou Codorniz poisada numa árvore? Ou um Pica-pau em cima de uma casa? No entanto, tantas vezes já escrutinámos um telhado em ruínas com a esperança de ver um Mocho... Porque varremos nós, com o olhar, os paus e troncos à beira de um lago sabendo que possivelmente encontraremos por ali um Guarda-rios?

 

Seja por motivos de segurança e/ou camuflagem, seja porque facilita a busca por alimento, ou por qualquer outro imperativo biológico, as aves têm preferências. Algumas raramente abandonam o chão, outras não saem do interior das copas das árvores ou moitas... também há as que apenas poisam nos raminhos secos exteriores. Postes, cabos eléctricos, telhados, vedações, pedregulhos no chão, lodos inter-marés, caniços, rochas à superfície da água, areais e até o "lombo" de outros animais, são locais de poiso que atraem alguns tipos específicos de aves.

 

Há, no entanto, bichos que nós já vimos poisados em grande parte destes locais. São "poisadores" oportunistas que não se deixam limitar por preferências mesquinhas. O mundo e todos os seus poleiros pertence-lhes!

Esta é uma dessas aves. Já o vi (quase todos já teremos visto) em postes, fios, vedações, telhados, pedregulhos, canas, ervas, estradas, na areia da praia... isto é tudo dele.

 

- Chasco-cinzento (Oenanthe oenanthe)
- Cova do Vapor - Almada (10-10-2016)

PS: Há também aqueles que contrariam "as regras". Já tive a oportunidade de ver perdizes em cima de sobreiros e telhados, bem como alguns outros exemplos de não-conformidade.

 

Chasco-cinzento (Oenanthe oenanthe) Cova do Vapor

 

[EN]

 

Perches and roosts

How many times have we seen a Partridge or a Quail on a tree? And a Woodpecker on top of a house? However, many times we searched a roof in ruins with the hope of seeing a Little Owl... Why do we search the sticks and logs at the edge of a lake knowing that possibly we will find a Kingfisher?
It could be for safety and/or camouflage, or because it facilitates the search for food, or even any other biological imperative, but we know that birds have preferences. Some rarely leave the ground, others do not leave the inside of the trees or bushes... there are also those who only rest in the outer dry twigs. Poles, power lines, roofs, fences, boulders on the floor, sludges, reeds, rocks at the surface of water, sand and even the backs of other animals, these are perching sites that attract specific types of birds.


There are, however, birds that we have already seen perched at all of these locations. They are opportunist "perchers" who do not let themselves be limited by petty preferences. The world and all it perches belongs to them!
This is one of those birds. I've seen it on poles, wires, fences, roofs, boulders, reeds, grass, road, sand beach ... he "owns" everything.

 

- Northern Wheatear (Oenanthe oenanthe)

- Cova do Vapor, Almada - Portugal (10-10-2016)

PS: There are also those who oppose "the rules." I've had the opportunity to see partridges on oak trees and roofs, as well as many other examples of non-compliance.

28
Jul17

Dois em um

A bicefalia (ou policefalia) é das condições mais aberrantes do mundo natural. Um ser com duas cabeças (funcionais ou não) é um daqueles conceitos que sempre nos causaram automáticas reacções de repulsa. Quem sabe, talvez até tenha sido esta a origem de mitos como a Hidra ou o Cerbero. Existem relatos e fotografias de cobras, ratos e mesmo crianças com duas cabeças. Esta é, sem dúvida, matéria para pesadelos...

 

- Flamingo-rosado (Phoenicopterus roseus)
- Moinho de Maré de Corroios - Seixal (23-04-2016)

 

Flamingo-rosado (Phoenicopterus roseus) Moinho de

 

[EN]

Two-in-one

 

Bicephaly (or polycephaly) is one of the most abhorrent conditions of the natural world. A being with two heads (functional or not) is one of those concepts that always caused us automatic repulsion reactions. Perhaps this was the origin of myths like the Hydra or Cerberus. There are reports and photographys of snakes, rats and even children with two heads... This is undoubtedly the stuff of nightmares...

 

- Greater Flamingo (Phoenicopterus roseus)

- Seixal - Portugal (23-04-2016)

23
Jul17

Portugal está na moda

 

País de clima temperado e variedade de paisagens, Portugal sempre foi um destino atractivo para visitantes de outras paragens. Isto é verdade para os humanos, mas vem também (cada vez mais) sendo verdade para outros animais - incluindo algumas aves.

 

Há muito que nos habituámos a ver os pequenos bicos-de-lacre como parte da nossa fauna, mas podemos também observar arcebispos, tecelões, bicos-de-chumbo, mainás-de-crista. E os "papagaios" verdes (na verdade são periquitos) que deslumbram os transeuntes em Lisboa? 

Todos estes bichos exóticos, embora acarretem alguns malefícios, oferecem um colorido diferente à nossa fauna, pois as nossas aves autóctones são "aborrecidas" e apresentam formas e cores muito menos exuberantes.

Será?

 

Pois, também muito português é o terrivel hábito de desconsiderar o que é nosso, ignorando tantas vezes as maravilhas que temos em casa. Mas recentemente o paradigma mudou um pouco: somos campeões, ganhamos festivais, somos desejados pelos famosos, temos auto-estima... 

 

E, que raios, (porque não dizê-lo?) temos uma natureza fascinante.

 

- Camão (Porphyrio porphyrio)
- Espaço Interpretativo da Lagoa Pequena (29-04-2017)

 

Camão (Porphyrio porphyrio) EILP (29-04-2017) (3)

 

 [EN]

Portugal is fashionable

 

Country with soft weather and a variety of landscapes, Portugal has always been an attractive destination for visitors from other places. This is true for humans, but it also comes more and more true for other animals - including some birds.

We have long been accustomed to seeing the little waxbills as part of our fauna, but we can also observe yellow-crowned bishops, black-headed weavers, scaly-breasted munias, crested mynas. And all the green "parrots" (actually are parakeets) that dazzle passers-by in Lisbon? 

All these exotic animals, although they entail some harm, offer a different color to our fauna because our native birds are "dull" and present forms and colors much less exuberant. Really?

Very Portuguese isalso  the terrible habit of disregarding what is ours and ignoring so many times the wonders we have at home. But recently the paradigm has changed a bit: we are champions, we win festivals, we are wanted by celebrities, we have self-esteem... 

And, what the hell, (why not say it?) we have a fascinating nature.

 

- Purple Swamphen (Porphyrio porphyrio)

- Sesimbra - Portugal (29-04-2017)

Espaço Interpretativo da Lagoa Pequena

 

20
Jul17




Os padrões migratórios das mais variadas espécies de animais (incluindo os humanos) têm vindo a ser estudados ao longo do tempo. Hoje conhecemos as rotas, os destinos, as paragens intermédias, a duração... basicamente tudo o que há para conhecer. No entanto, de tempos a tempos acontece um fenómeno. Ventos de África arrastam até nós falcões cuja rota não passa por cá, uma ave exclusiva de águas tropicais sobe até paragens mais boreais, uma outra atravessa o atlântico e instala-se cá pelo velho mundo... geralmente estas "anomalias" são alvo de exacerbado interesse por parte da comunidade ornitológica, chegando a gerar-se autênticas romarias para observar os bichos.

Mas e as aves? Que destino as aguarda? Se é certo que um Falco vespertinus ou um Sula leucogaster facilmente poderão voltar às suas paragens de origem, é improvável que uma Porzana carolina volte a pisar terras americanas...
 

Mergulhão-caçador (Podilymbus podiceps) Sesimbra

 

Com apenas 3 registos no nosso país, este pequeno mergulhão é um desses fenómenos. Vestido das suas melhores cores, em plena época nupcial, as suas vocalizações incessantes não têm como atravessar o oceano que o separa dos restantes membros da sua espécie. Irá ele passar o resto da sua vida entre nós como centro das atenções, rodeado de fotógrafos, observadores e curiosos, mas ainda assim inapelavelmente... só?
 
- Mergulhão-caçador (Podilymbus podiceps)
- Sesimbra (01-07-2017)
 

Mergulhão-caçador (Podilymbus podiceps) Sesimbra

 

[EN]

Alone

 

The migratory patterns of the most varied species of animals (including humans) have been studied over time. Today we know the routes, the destinations, the intermediate stops, the duration... basically everything there is to know. However, from time to time a phenomenon happens. Winds from Africa drag to us some hawks whose route does not pass by here, a bird exclusive of tropical waters flies up to northern regions, another bird crosses the Atlantic and settles in the old world... usually these "anomalies" are the target of exacerbated interest on the part of the ornithological community, generating authentic pilgrimages to see these animals.

But what about the birds? What fate awaits them? If it is true that a Falco vespertinus or a Sula leucogaster can easily return to its origins, it is unlikely that a Porzana carolina will ever again set foot on American soil...

With only 3 records in Portugal, this little grebe is one of these phenomena. Dressed in his best colors, in the middle of the nuptial season, his incessant vocalizations can not cross the ocean that separates him from the other members of his species. Will he spend the rest of his life among us as center of attention, surrounded by photographers, observers and curious, but still unpromisingly... alone?

 

- Pied-billed Grebe (Podilymbus podiceps)

- Sesimbra (01-07-2017)

19
Jul17

Walking Out of the Path



Alguma vez te sentiste confuso quando o caminho à tua frente é recto e claro? Alguma vez te sentiste uma marioneta sem vontade própria? Alguma vez te sentiste perdido quando pensavas estar a seguir um rumo definido? Chegará uma altura de cortar os fios, cerrar dentes e ter a coragem de sair do caminho... Arrisca abandonar o rumo traçado. Explora, erra, tenta de novo... Vagueia... Vive.
 
Aprende aquilo que os que nos seguram as rédeas não querem que descubras: nesta vida, "nem todos os que vagueiam andam perdidos"!
 
- Parque Luso - Corroios (2013)
 

Bosque Lusitano (10-03-2016).JPG

 

[EN]

Have you ever felt confused when the road ahead is straight and clear? Did you ever feel like a puppet without self-will? Have you ever felt lost when you thought you were following a definite course? There will come a time to cut the strings, to grit the teeth and have the courage to step out of the way... Take a chance and diverge from the path. Explore, make mistakes, try again... Wander... Live.
 
Learn what those who hold our ribands do not want you to discover: in this life "not all who wander are lost"!
 
- Parque Luso (Corroios) - Portugal (2013)

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts destacados

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D