Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

bicho do mato

Aqui fala-se de natureza, aves, bichos em geral e do que mais me passar pela cabeça

bicho do mato

Aqui fala-se de natureza, aves, bichos em geral e do que mais me passar pela cabeça

31
Dez17

O saltitão vermelho

Extinto em Portugal no século XVI, o esquilo-vermelho encetou a sua re-colonização nos anos 90. Vindo de Espanha, a sua distribuição tem progredido deste o norte, tendo já sido observado a sul do rio Tejo.

 

Sendo o único roedor arboricola diurno da nossa fauna, este esquilo habita florestas de coníferas e compostas, o que lhe garante uma maior disponibilidade de alimento ao longo das estações. São animais omnívoros cuja dieta se baseia essencialmente em sementes de coníferas. No entanto, caso estas escaceiem, alimentam-se de cogumelos, flores, raizes, insectos, minhocas ou ovos.

 

Dada a sua facilidade em conviver com o ser humano, não é de estranhar vê-los a saltitar de árvore em árvore em parques ou jardins urbanos. Na década de 90 estes pequenos mamíferos foram introduzidos no Parque Florestal de Monsanto e no Jardim Botânico de Coimbra (1993 e 1994 respectivamente) locais que, em conjunto com a Tapada da Ajuda, proporcionam ainda hoje as melhores hipóteses de observar esta espécie.

 

Depois de ter já ter procurado sem sucesso observar este bicho na Ajuda, acabei por dar com ele num local onde eu não fazia a mínima ideia de que ocorria.

 

- Esquilo-vermelho (Sciurus vulgaris)

- Óbidos (21-05-2017)

 

Esquilo-Vermelho (Sciurus vulgaris)

 

 [EN]

The red jumper

 

Extinct from Portugal in the sixteenth century, the red squirrel began its re-colonization in the 1990s. Coming from Spain, its distribution has progressed from the north, having already been observed south of the Tagus River.

 

Being the only arboricola rodent of day-time habits in our fauna, this squirrel inhabits coniferous and composite forests, which guarantees a greater availability of food throughout the seasons. They are omnivorous animals whose diet is based essentially on coniferous seeds. However, in the lack of those, they feed on mushrooms, flowers, roots, insects, earthworms or eggs.

 

Given its ease in living around the human being it is not surprising to see them jumping from tree to tree in parks or urban gardens. In the 90's, these small mammals were introduced to the Forest Park of Monsanto and to the Botanical Garden of Coimbra (1993 and 1994 respectively) which together with Tapada da Ajuda still provide the best chances to observe this species.

 

After having already tried unsuccessfully to observe this animal in Ajuda, I ended up finding it in a place where I had no idea that he occurs.

 

- Red Squirrel (Sciurus vulgaris)

- Óbidos - Portugal (21-05-2017)

02
Out17

Criaturas da Noite

Fonte de inspiração para lendas, filmes de terror e contos macabros, o morcego carrega o estigma de ser considerado uma criatura malévola, ligada às artes do demo.

 

No entanto nada poderia estar mais errado, estes filhos da noite são bastante benéficos para o Homem pois devoram grandes quantidades de mosquitos, traças e outros insectos perniciosos. Quantas vezes, ao passar por um qualquer poste de iluminação, ouvimos uns estalidos metálicos quase imperceptíveis? Quantas vezes olhámos para cima a tempo de ver apenas uma pequena sombra fantasmagórica? Eles escondem-se nas brumas, não com a intenção de nos sugar o sangue (pelo menos a maioria das espécies) mas apenas para que possam tomar de assalto todos os apetitosos insectos que são atraídos pelas poucas luzes nocturnas.

 

Apesar de impossível de identificar pela foto, esta é uma das das 4 espécies de morcego-de-ferradura (género Rhinolophus) que ocorrem em Portugal e cujo nome advém do apêndice nasal em forma de ferradura.

 

- Morcego-de-ferradura (Rhinolophus sp.)

- Penha Garcia (17-06-2017)

 

Morcego-de-ferradura (Rhinolophus sp.)

 

[EN]

Creatures of the Night

 

Source of inspiration for legends, horror movies and macabre tales, the bat bears the stigma of being considered a malevolent creature linked to the demoniac arts.

 

However nothing could be more wrong: these children of the night are quite beneficial for mankind as they devour large amounts of mosquitoes, moths and other harmful insects. How many times when passing through any lamppost do we heard an almost imperceptible metallic click? How many times have we looked up just in time to see only a little ghostly shadow? They lurk in the shadows, not with the intention of sucking our blood (at least most species) but only so that they can storm all the appetizing insects that are attracted by the few nocturnal lights.

 

Although impossible to identify by the photo, this is one of the 4 species of Horseshoe Bat (genus Rhinolophus) that occur in Portugal and whose name comes from the horseshoe-shaped nasal appendage.

 

- Morcego-de-ferradura (Rhinolophus sp.)

- Penha Garcia - Portugal (17-06-2017)

14
Ago17

Em direcção a Sul

Sem ser exuberante ao nível dos mamíferos autóctones, a fauna portuguesa ainda compreende algumas espécies bastante interessantes. Este "simpático" e arisco esquilo é um bom exemplo disso mesmo. 

Já há algum tempo que perseguia este registo e, surpreendentemente, acabou por aparecer num local insuspeito. Aparentemente estão mesmo a expandir para sul... excelentes notícias!

 

- Esquilo-vermelho (Sciurus vulgaris)
- Óbidos (21-05-2017)

 

34832227355_f130623259_o.jpg

 

[EN]

Heading south

 

Without being exuberant at the level of native mammals, the Portuguese fauna still comprises some very interesting species. This cute and skittish squirrel is a good example of this.

 

For some time now I have pursued this observation and, surprisingly, it has finally happened in an unsuspected place. Apparently they are really expanding south ... great news!

 

- Red Squirrel (Sciurus vulgaris)

- Óbidos - Portugal (21-05-2017)

Eu

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts destacados

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D